Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Violet Clouds

O que ando a ler: "Herança"

Boa noite a todos!

 

Hoje venho cedo (comparando com o post das três da madrugada...) e estou aqui com a intenção de vos apresentar um dos dois livros que terminei de ler nos últimos meses. Depois de acabar de ler o "Diário de um Mago", pensei em mudar de escritor por alguns tempos. Ainda tinha muitas opções de escolha além das obras de Paulo Coelho, que li sem descanso por muitos bons meses. A minha tia recomendou-me um livro de Danielle Steel, uma das suas escritoras preferidas. Mas para me convencer a lê-lo, foi preciso um pouco de conversa e alguns spoilers, porque não gosto de pegar em livros que não me dêem uma primeira impressão decente.



 

Mas este, porém, impressionou-me só pela capa. E depois de ser influenciada a lê-lo com alguns cliffhangers - da parte de quem já o tinha lido - agarrei-me logo a ele. Embora já tenha lido algumas opiniões negativas acerca desta obra, tenho em minha vantagem uma afinição ao tema: índios. A minha família soube através de uma pesquisa na Torre do Tombo, em Lisboa, de que éramos descendentes de índios provindos do Brasil. Sendo sincera, não temos muitos detalhes, mas ficámos encantados!

E toda a história roda sobre isso.

 

Brigitte é a típica mulher comodista dos tempos modernos: não tem grandes ambições, contenta-se com pouco e não gosta de sair da sua zona de conforto. Com trinta e oito anos, mantém um relacionamento estagnado há seis anos e trabalha no Departamento de Admissões da Universidade de Boston, tendo já recusado várias ofertas de promoção e de lecionar dentro da mesma instituição. Não pretende subir de posto nem dar o primeiro passo para o casamento, quanto mais pensar em ter filhos. A sua vida dá uma volta de 180º e perde tanto o seu emprego como o namorado, que viaja sem retorno para o Egipto. É a partir deste seu descalabro que Brigitte é levada a casa de sua mãe, quem lhe pede para prosseguir com os estudos sobre a árvore genealógica da sua família.

É aqui se surge o nome de Wachiwi e um novo rumo para a vida de Brigitte, que viaja até Dakota do Sul e mais tarde, para França, em busca de toda a informação sobre esta sua antecessora tão peculiar. Wachiwi era uma índia sioux e a sua história de vida engloba muitas aventuras e desavenças; o que faz Brigitte querer saber mais sobre ela é a razão pela qual ela atravessou o oceano até França. E é esta busca desenfreada por conhecimento que guia a protagonista a uma segunda oportunidade de viver a sua vida, de arriscar, de querer ir mais além.

 

E como o meu objectivo é incentivar-vos à leitura e não contar-vos uma história, não digo mais nada. Garanto-vos que tem muitas surpresas, romance e comédia q.b. E olhem que não sou fã de lamechices, mas este é muito giro e agradável. Já leram este livro? O que acharam dele?

Boa noite,

Daniela

8 comentários

Comentar post

Light Purple Pointer
Follow on Bloglovin

Quem passou por cá ♥

Mensagens

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D