Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Violet Clouds

Confusão.

Alguém que pare tudo porque eu estou mais confusa que sabe Deus lá o quê.

 

Aparentemente, vou ter uma irmã. Não como a Mariana, que é minha irmã de "afinição" - é irmã da minha irmã Joana (filha da madrasta dela e do meu padrasto).

Não, vou ter uma irmã, filha do meu pai biológico. E pelas contas - porque andei a ler aquilo tudo feita cusca - nasce perto do meu aniversário.

 

Acho que daqui veio o meu sarcasmo ao de cima, ou então a vida anda a pregar-lhe partidas. E depois de muito pensar... Tenho pena da criança. Receio de que vá ser só mais uma, como eu fui. A confusão de que falo surge no pesar das emoções, de não saber se quero espancá-lo ou se devo desejar a maior das sortes para a criança. Nem sei.

 

Estou bem. Porque cresci e não precisei dele. E sou forte, mais do que tu pensas. Mais do que eu penso.

 

Devia ser sempre assim.

Gosto de dias como o de hoje. Do tipo de dias em que o Sol brilha logo pela manhã e consigo acordar sem a necessidade de ter um despertador para isso. Sendo Domingo, estou em casa e não ando a caminhar pelas ruas a tentar afastar-me dos gritos, das más línguas e das conversas alheias que muitas vezes me fazem questionar a sanidade desta nossa sociedade, que a meu ver está cada vez mais degradada.

Acima de tudo, estou longe de me questionar vezes sem conta se estou no sítio certo, se estou certa ou errada, se de facto a minha opinião é útil para algo, já que a minha habilidade para debates é pouca ou inexistente. Ou seja, não me massacro constantemente por me querer moldar a um grupo de pessoas que toda a minha vida, e até mesmo nos dias de hoje, são contra tudo aquilo que sou e penso.

 

Não me dói a cabeça nem tive pesadelos. Ainda não surgiram tópicos de conversa que me tirassem do sério ou que abalassem a minha sanidade. Dei por mim, mais uma vez, a sentir a falta dos dias antigos. Desta vez não foi só do ambiente em que vivia, da mentalidade diferente que me rodeava e me dava liberdade para ser eu mesma ou do estilo simplista de vida ao qual fui educada e conseguia ter. Tive saudades desta pessoa, da que sabe quem é e o que quer, da miúda que se sentava a escutar o barulho da rua pela janela e das pessoas que viviam junto dela. Senti saudades dos dias em que ouvia conversas dos residentes da associação que eu e a minha tia ajudávamos e de aprender com elas. Ou até mesmo de me sentar junto dos outros miúdos com a minha idade e falarmos sobre coisas que gostávamos e não de futilidades como as que tenho ouvido de segunda a sexta, fora de casa. Saber que será difícil reunir-me aos amigos de infância e de praticamente toda uma vida, saber que vou ter de conviver com pessoas que a mim não me são nada e tão pouco as compreendo é algo que agora não me atormenta. Porque as memórias que guardo, das lições que aprendi, das batalhas que travei e dos momentos que tive a chance de viver deixam-me uma réstia de esperança que sussurra constantemente aos ouvidos a mesma coisa.

 

"Um dia vai tudo bater certo."

 

Gostava que estes episódios de lucidez durassem mais tempo. Gostava de me sentir bem e não me importar com o facto de não me sentir encaixada mais vezes, senão permanentemente. Talvez ao registá-lo o consiga recordar. Talvez desta forma não me perca tantas vezes até voltar ao caminho certo.

Isso e o facto de que tenho toneladas de saudades da minha irmã. E já disse muito.

 

(Por curiosidade, aqui eu tinha qualquer coisa como... 15 anos, acabadinhos de fazer.)

Pequeno mimo de S. Valentim atrasado

Como não tenho muito tempo e queria mostrar-vos o pouco que tenho desenhado, deixo-vos provas de que até fiz qualquer coisa para o dia dos Namorados - ainda que por enquanto não passe de um simples esboço. Como precisava de treinar a minha forma de usar poses reais como referência, utilizei uma para este.

 

Featuring my sweetie Ayumi e uma das personagens de Naruto, Gaara:

 

Espero poder mostrar-vos a versão final um dia!
Boa tarde,
Daniela

 

Lógicas da Batata #5 - Crazy!

Não sei se por ventura de outros posts mais antigos vos tenha dado a conhecer a minha faceta anti-médicos. Não tenho nada contra o meu médico, aliás, gosto muito da forma como ele me trata. Apenas não sou pessoa que ande constantemente enfiada lá no consultório por tudo o que me possa acontecer. No entanto isso é genético, cá em casa ninguém aprecia médicos dessa forma.

 

Porém, na minha última consulta (mês passado) tive de dizer ao meu médico que de facto, não conseguia dormir como deve ser. Que tenho andado stressada, com imensas pontadas cardíacas - mais do que é suposto - e a ter imensos pesadelos durante a noite (o meu maior problema). O homem perguntou-me se andava a fazer a minha medicação habitual de Valdispert e eu respondi que não, porque não me faziam efeito nenhum. Na verdade nunca ultrapassei as dosagens que ele me recomendava e se essas nada me faziam, deixei de os tomar, não havendo necessidade de me encher de ansiolíticos sem efeito. Eis que o meu médico me passa algo diferente e diz que "embora sejam para outros efeitos, a dosagem mínima ajuda com problemas de privação de sono."

 

Okey. Mme. Dani chega a casa e tal, acha estranho e vai pesquisar sobre o medicamento na internet. Descubro que a medicação que o desgraçado me passou é para o controlo de bipolaridade e epilepsia se for tomado em doses muito maiores. Ora, a minha era a mínima, nem me senti ofendida. Não seria a primeira vez que ele recomendava um medicamento estranho para outros fins; já tinha receitado um para a minha tia para a ajudar a avivar a memória e o seu propósito principal era controlar sintomas de "demência". Memória fraca faz parte desses sintomas mas a mulher não é demente. Certo. Nem eu sou bipolar.

 

Hoje vou por fim, levantar a medicação e por curiosidade, perguntei à farmacêutica para que servia o medicamento em especial. Pois.

A senhora olha para mim, ciente de que era para mim, e muda de cores e gagueja.

 

"S-sabe... Aconselho-a a não ler a bula. É p-provável que vá ler as indicações e... B-bem... Sabe, tem vários propósitos, a senhora ainda leva a mal e depois não o toma. C-com uma dosagem tão pequena, deve ser só um... Um auxiliar de ansiolítico! Isso! Quer dizer, n-não sei..."

 

Ri-me. A meu ver a mulher pensou que eu era doida varrida e que se me dissesse alguma coisa, iam voar cadeiras.

 

"... Que o medicamento serve para o tratamento de bipolaridade já eu sei, minha senhora. Só queria saber as restantes indicações. Que me servirá apenas de ansiolítico sei eu." ... E pronto, ela respirou fundo, acenou com a cabeça, sorriu e pagou a conta. Como quem pensasse, "ah, não vou levar com uma cadeira na tromba!".

 

Obrigada por me achar com cara de maluca!

 

 

Um fim-de-semana reboliço.

Sabem aquelas alturas em que apenas nos apetece desaparecer do mapa durante alguns dias e voltar, só para recuperar as forças e resolver os nossos problemas como deve ser? Andei mais ou menos dessa forma ontem e é por isso que nem publiquei nada,  contrariamente aos meus planos.

No entanto, depois de uma semana a fazer exercícios de programação a torto e a direito, tive direito a uma pausa. Nessa pausa, prossegui com a minha busca por uma capa para o meu futuro telemóvel e com a preparação de alguns posts para o futuro.

 

No entanto, apesar das partes más, ontem ofereceram-me uma prenda em troca de um trabalho de costura que a minha avó fez e não quis cobrar nada à senhora, amiga nossa desde que nasci. Eis que de manhã me acordam com um saquito e quando abro vejo esta caixinha:

 

Não precisei de abrir a caixa para sentir o cheiro de ambos. É um gel de banho com cheiro a rosas e um creme corporal de lavanda. Embora não seja muito amiga deste tipo de essências, até gostei do cheirinho. Problema agora é mesmo querer abrir a caixa... Este tipo de prendas até dá pena de usar. Já a minha tia faz como eu, guarda as caixas quando são assim deste género. Ainda tem uma caixa da The Body Shop com um conjunto de produtos com aroma a chocolate.
O que acharam, hmm?
Boa noite,
Daniela

Follow Friday #1

Tenho visto isto acontecer há umas duas semanas atrás e acho que é uma ideia muito, muito gira. Como já andava para vos sugerir um blog desta forma há algum tempo, estreio-me hoje com um blog de uma rapariga muito simpática e com imenso talento!

 

Desenhos -> As várias obras lindíssimas da Inês, que a cada dia que passa nos mostra desenhos bastante queridos e com muita qualidade. Sigo-a há já alguns meses e adoro a forma como ela se expressa com o lápis - ou caneta, ou aguarela, ou o que ela preferir no dia. Espreitem o blog dela e os vários miminhos que ela publica diariamente!

 

E porque hoje é dia dos Namorados, espero que tenham um dia de S.Valentim especial com o vosso/a companheiro/a. O meu vai ser comigo na escola e com o meu namorado na faculdade em dia de exame... Mas depois celebramos o evento num outro dia; de certa forma, soa muito melhor quando não o fazemos num dia em específico, mas sim quando queremos. (:

 

Boa tarde,

Daniela

Actualização do meu petit a part #20

Credo.

Cruz credo.

Cruzes credo gafanhoto.

 

Como é que raios existe tanto tipo de capa e:

♥ Não há do modelo que procuro.

♥ Não fazem personalizações (quando estamos desesperados?).

♥ Têm umas cores mirambolantes.

 

Eu só queria uma daquelas capinhas (quase parecem carteiras, têm película para fechar) e que fosse preta, branca ou roxa/violeta/lilás? Ou são apetrechadas de brilhantes ou são simples demais. A sério, ninguém sabe de nenhuma lojita por aí que venda capas para telemóvel a um preço fofinho? Sei lá... Daquele tipo de coisa simples mas com um pormenor engraçado?

 

É que nem 8 nem 80. Valha-me nossa Senhora. Aceito todas as recomendações do vosso lado, por favor...

Un petit a part #20

Eis que aparentemente, o Pai Natal ouviu-me mas atrasou-se. No entanto compensou bem o atraso! Dentro de alguns dias vou aderir aos telemóveis touch, mas a minha missão agora é encontrar uma capa para o novo bichano. Encontrei uma muito boa na Amazon.co.uk mas gostaria de pedir aos meus leitores mai lindos cá da Sapo, Blogger e arredores que me recomendassem alguma loja, blog ou amigo que fizesse capas personalizadas (a um preço amigável, por favor!).

 

Oh oh oy, é que sei o quão desastrada sou e não quero partir a bicheza mal lhe ponha as mãos em cima.

 

Sorteio do livro "Luzemia" pelo blog Here With Me!

Boas noites gente linda!

 

Bem, acho que nunca divulguei nenhum passatempo pelo blog, portanto há sempre uma primeira vez para tudo. E nada melhor para uma estreia como com um sorteio pela Teresa Silva, blogger do "Here with Me"! Está a decorrer de momento um sorteio do livro "Luzemia", escrito pela Ana Santos!

 

 

Para darem um olhinho às regras do sorteio, cliquem aqui! É um livro com uma história muito gira, portanto dêem-lhe uma chance! (:

 

Boa noite,

Daniela

De seus antecessores #1 - 2 de Outubro de 2012

Já vos disse várias vezes que este não é o meu primeiro blog, quanto mais aqui na plataforma Sapo.

Há uns meses, tive curiosidade de descobrir quantos blogues tive e pedi assistência aos meninos da Sapo, que me recomendaram o Web.Archive.Org para poder voltar atrás no tempo e dar uma vista de olhos aos poucos snapshots dos ditos blogues. E gente... Ri muito! No entanto, este é um post do meu blog anterior "Menina na Lua". Já o tinha guardado num documento, mas aproveitei para fazer um recorte dele e vos mostrar:

 

" Escrevo-vos muito brevemente uma vez que o meu real traseiro não se aguenta numa cadeira mais de quinze minutos. Já fui operada e saí cuspida da clínica no dia a seguir. Sim, imaginem as minhas dores ainda de pontos postos.
Vir ao computador apenas me ocorre de lés-a-lés, e logo depois do meu estado psicológico lastimável comprovado pelo meu último post. E tal como foi dito antes... Pergunto-me o que raio andei a beber.
Da minha breve estadia não relato muito: comida ensonsa - excluindo a maçã cozida e o cházinho, que eram bons - e não poder deitar-me normalmente eram de esperar. Pelo menos tive a boa companhia de uma senhora muito simpática, a quem desejo as mais sinceras e rápidas melhoras, e um livro novinho recomendado por uma grande amiga minha.
"Céus de Montana", de Nora Roberts. Foi a primeira vez que li algo da sua autoria e adorei.
Entretanto, tentei ler o "Diário de um Anjo da Guarda", de Carolyn Jess-Cooke. Desapontou-me. A capa era linda e enganosa, revelando uma história que não faz nada bem a alguém pré-deprimido e saído de uma cirurgia. Talvez o continue um dia mais tarde.
Talvez.
Conto-vos mais da próxima vez, prometendo vir cá com mais regularidade. E vou ver se realmente arranjo alguns leitores.
Bons sonhos,
Daniela"
Lembro-me perfeitamente desta fase da minha vida e do que aprendi. Nunca tinha sido operada até à data e o simples facto de pensar no assunto deixava-me nervosa. E ainda hoje me rio bastante de muita coisa. Lembro-me bem da ansiedade que senti antes de entrar para a sala de operações. Da pouca simpatia que fui quando acordei e não conseguia respirar (fui entubada... expressei-me em português correcto). Do primeiro telefonema que fiz à minha tia, querer dizer-lhe que estava bem, que o pior já tinha passado, de sentir o alívio dela pela sua voz. De tentar adormecer ao som do ressonar agravado da senhora (muito simpática, mas de sono pesado). Da primeira chance que tive de comer qualquer coisa, sentia-me uma criminosa por jantar às onze e meia da noite sem ninguém ver: apenas eu e a auxiliar. Rio-me sempre de quando me deram alta e saí do elevador de rabo empinado, a andar como o Pato Donald.
Lembro-me de entrar no barco e tentar sentar-me, sem grande sucesso. Tentar dormir só um pouco. Lembro-me de chegar a casa e mudar logo de roupa. De esperar ansiosa pelas 15h30, hora a que o meu namorado ia tocar à campainha para partir rumo a Lisboa com a minha tia, para me visitar.
Quando no fim, já estava em casa. E o abracei, e o vi sem saber bem o que fazer, se havia de chorar ou de me pegar ao colo.
Recordo-me disto tudo e de tantas outras coisas. Garanto-vos que viajar até ao Porto de carro com pontos pode ser doloroso, mas igualmente engraçado. Valeu tudo a pena.
Esta foi uma das memórias que me fizeram pensar duas vezes antes de apagar o blog que as encerrava.
Agora, está aqui. (:

Pág. 1/2

Light Purple Pointer
Follow on Bloglovin

Quem passou por cá ♥

Mensagens

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D