Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Violet Clouds

O que não estava à espera.

É provável que já tenha falado disto em posts anteriores (ou não), mas vai fazer um ano em Junho que chumbei duas vezes no exame de condução. E que desde então fiz trinta por uma linha para pagar a reprovação... Até hoje.

 

Levantei-me cedo e acompanhei a minha tia até ao Centro de Saúde para tratar de assuntos paralelos a este. Um cafézinho depois estávamos a caminho do Barreiro a procurar por um lugar de estacionamento e a falar sobre novas rotundas e mascotes da cidade. Respirei fundo e prometi a mim mesma que não ia chorar; que já tinha ultrapassado os nervos e que ia finalmente atar pontas soltas e ver as pessoas da escola de novo. Fomos recebidas com um sorriso e actualizámos notícias: o que tinha acontecido, o que foi da Nina, o que estava a ser de mim e da minha tia. Entretanto falámos da carta e do assunto pendente que me retia lá e eis que ela me diz que eu não devia absolutamente nada.

 

Caiu-me o queixo. Tanto tempo a juntar dinheiro e no fim não tinha qualquer dívida. Ela passou então à explicação: a minha licença tinha caducado em Outubro e com isso, o meu chumbo também. "E de facto uma coisa era certa: na tua situação era melhor refazeres a carta de novo, senão pagavas muito mais. Olha, fica já guardado para a nova inscrição!". E gente, acho que perdi 50 quilos só de ouvir aquelas palavras. Continuámos a conversar e ela disse-me que ainda tinha o meu processo guardado. "Sabes, tinha esperança que voltasses cá! E não joguei o teu processo fora enquanto não viesses aqui! E tinha razão, cá estás tu!", sorriu e depois de me devolver a minha fotografia do processo, rasgou-o. De igual modo, procurou a minha antiga licença e deu-ma. "Está caducada mas podes guardá-la como recordação. E estamos cá à tua espera para te ensinarmos. Porque tu sabes bem o código e sabes conduzir bem." E não é mentira. Mas como disse a minha tia, há muita coisa a fazer até eu voltar e uma delas é aprender a acalmar a minha ansiedade e estabilizar a minha vida.

 

Quando estiver perto ou até mesmo chegado a esses objectivos, estarei lá à porta com o caderno pronta a aprender. E com isto, concluí mais um objectivo para este ano. (:

 

 

Boa tarde,

Daniela

Paciência, Watson, hás-de lá chegar.

Ontem a minha tia e a minha avó - ambas fazem trabalhos de costura - receberam uma capa de uma rapariga para lhe coser os emblemas. Vi a senhora chegar (madrinha da rapariga) e reparei que vinha aborrecida com a dita cuja. Aprendi alguma coisa sobre as capas dos trajados ontem.

 

Aprendi que de facto são um motivo de orgulho para quem as tem e com razão para tal. O brilho nos olhos da senhora era imenso, no que tocava ao assunto da capa e da faculdade. Porém o desgosto era igualmente grande. A senhora estava indignada porque a afilhada não seguia as regras da capa: contámos mais de 70 emblemas para coser. Quando pedimos à rapariga para reduzir o número, ela reduziu os emblemas em 5. Emblemas em número par. A senhora estava furiosa, queixava-se de que não era assim. Porque têm de começar ao nível do coração e terminar a dois palmos do fim para que depois possam rasgá-la, porque ela estava a pôr imensa coisa e nem se preocupou em ordená-los na capa apropriadamente, porque têm de estar em número ímpar tanto em fila, como em linha. Até os pôs no lado errado da capa. A ouvir isto tudo, fiquei confusa, mas foi à noite que compreendi a indignação dela à medida que via a minha tia a pregar cada emblema. Cada um tinha um significado. Examinei-os a todos e vi muita coisa desnecessária, como se andassem a competir para ver quem conseguia ter mais emblemas na sua capa. Mas isso não é do meu juízo.

 

Quando dei por mim, estava a imaginar uma possível futura capa minha. O que teria lá, para além dos emblemas obrigatórios. Prometi de imediato à minha tia que não teria tantos emblemas na minha capa um dia e comecei a pensar, a pressupôr. Dei por mim a imaginar-me de novo na faculdade. "Havemos de lá chegar, com paciência e trabalho. Está bem?"

 

Mhmm. Hei-de ter uma capa também um dia.

 

 

Boa tarde,
Daniela

Blogger também tem saudades.

Boa tarde, caros leitores! Como está a correra vossa semana de temperaturas mirambolantes?

 

Ainda há bem poucos dias li algo no facebook certíssimo. "Se chove mais algum dia que seja, monto o presépio". E pelo que já li por aí voltou a nevar na Serra da Estrela! É certo que não vou ter muito direito à praia este ano, mas... Opá, frio não! Mas será que não dá para ter um clima ameno e equilibrado por estas bandas portuguesas? Ora chove torrencialmente, ora faz Sol de assar passarinhos. E por incrível que pareça - pelo menos aqui na minha área - ainda não trovejou, o que foge às características de  Maio.

 

Enfim... Ando com saudades do blog. De ser blogger, de ler os vossos blogues e de procurar novos bloggers, de me dedicar a novos temas e às rúbricas que ainda tenho por aqui. Mas entre linguagens de programação, bases de dados e buscas ínfimas por mais opções de estágio, isto está complicado. Pensar positivo: no meio disto tudo já ando pró em HTML. Queria ver se falavam mais de CSS por aqui e podia brincar mais com o layout do blog. (:

 

 

 

 

 

 

Boa tarde,

Daniela

I hate you, Spring.

Peço-vos desculpa pela minha ausência, mas a culpa é desta maldita Primavera. Aparentemente a rapariga chegou atrasada este ano e para nos compensar, espalhou crises de alergia por todo o lado.

 

Ou assim diz a Dra. das urgências aqui da freguesia.

 

Eu não era alérgica ao pólen, nem aos fragmentos que caem das árvores - mais que me provocavam era um ardor nos olhos - mas este ano fui apanhada. Como cheguei ao cúmulo de nem ouvir ninguém, pois meus ricos ouvidos acharam por bem fazer companhia às minhas narinas e entupirem, fui ao serviço de urgências do Centro de Saúde daqui da zona (que é ao fim-de-semana ♥). Tcha-ram! "Você tem uma sinusite!!! Alergias mal controladas!".

 

E agora que me valha o antibiótico. Pelo menos já oiço toda a gente e já respiro melhor. No entanto o facto de estar afastada afastou-me da chance de vos poder contar algumas coisas boas deste fim-de-semana:

 

- sábado tive a oportunidade de poder ir a uma festinha de anos e provei comida moldava. Pimento recheado de arroz com carne, com um tempero óptimo e um molho com um nome complicado feito de iogurte e natas que me deixaram a babar. E por fim o bolo de anos caseiro (mas com ar de pastelaria) doce q.b. ! Já não ia fazer algo assim há imenso tempo e fiquei feliz... Mesmo depois de ter acabado de sair do centro de Saúde.

 

- à noite apanhei o desgosto da minha vida (de novo) quando subi para cima da balança e me vi tão próxima de três dígitos. E já não como em demasia, nem como snacks, nem parei o exercício físico. Estou oficialmente de dieta com a minha tia. Não quero voltar aos três números.

 

- hoje consegui ser mais teimosa e fiz esparguete para o meu almoço. Almoço anti-avó, que mesmo engripada, anda a tentar cozinhar. Mas ganhei e ela voltou para a sala para repousar (visto que também está engripada).

 

E mais vos contava se não me doesse a cabeça e estivesse atrasada para o meu próprio almoço. Odeio-te Primavera e odeio-te Segunda-feira. Quero fim-de-semana já! ):

 

Boa tarde,

Daniela

Nail art #8 - Quais os vernizes que tenho?

Boas noites gente!

 

Ena!!! Um post sobre algo que não seja a reclamar de seja o que for!!! Sim, eu disse que tinha coisinhas novas para publicar e a maioria das novidades vêm para esta rúbrica. Embora tenha três novas nail art pictures para vos mostrar, ainda não vos falei dos vernizes que tenho. E tenho as fotografias aqui a morrer de velhas... Assim como as últimas unhas que fiz, que me esqueci de tirar uma foto ao princípio. Mas continuando.

O primeiro post falava sobre produtos básicos, mas aqui quero mostrar-vos todo o tipo de vernizes que tenho (à excepção dos básicos do primeiro post, claro). Portanto talvez seja melhor começar pelas fotos e ir falando sobre eles:

 

E é isto o que tenho por agora. Mas vernizes são daqueles produtos que vão acabando e surgindo com frequência - seja por uso ou porque secam - e portanto deverão surgir novas cores!
Gostam? Alguma marca que nos recomendariam?
Boa noite,
Daniela

Un petit a part #24

Já é a segunda vez que ao entrar na plataforma da Sapo Blogs, passo os olhos pelos recortes e antes de efectuar o login, reparo em qualquer coisa familiar. Hoje deparei-me com a palavra 'programação'. "Olha, alguém sabe o que eu sofro... Deixa ir ver o post".

No fim... Era eu. Obrigada pelo destaque, Sapo!

 

E falando em destaques - que me esqueci na altura graças a um teste de avaliação sobre programação em C/C++ - obrigada também pelo destaque em Fevereiro, sobre o primeiro Follow Friday que fiz. (:
Boa noite,
Daniela

Lógicas da Batata #6 - Alto e pára o baile!

Já cá faltavaaa..! Já cá faltava, haver algo que me fizesse a tampa saltar e perder-se-me a paciência!

 

Não tenho postado nada porque me tenho sentido cansada. Exausta até. Olhar para um computador lembra-me trabalho e então suspiro e procuro uma outra coisa para fazer (que ultimamente tem sido descobrir o que o meu gadget novinho faz). E se pudesse fazia o que tanto gosto de fazer, que é sair para onde me desse na veneta. Mas aqui onde moro não há grandes locais que me interessem, pelo menos nada que apele a 15 minutos de paz e sossego. Prosseguindo.

 

Estou cansada, FARTA de programação até dizer chega. Voltámos à estaca onde a matemática é senhora e rainha e eu mal a conheço senão os seus básicos, o que me demora nos exercícios que nos entregam. Isso acaba por me deixar frustrada até resolver a situação e pular como uma pulga porque fiz um programa para somar 1+1. Mas lá por isso não significa que me esteja a barimbar para aquilo, senão não estava ali. Sempre disse isto, desde o princípio: programação "não é a minha cena". Mas vou tentar.

 

Hoje, em dona aula de uma das milhentas e horrorosas linguagens de programação, professor manda instalar um programa, advertindo que aquilo já de si ia dar imensos problemas até estar concluído. 'Tá bem. Passou o ficheiro pelas mesas e mais tarde perguntou se todos o tinham. Apenas dois o receberam. Resmungou e prosseguiu com uma explicação de como se instalava aquilo às três pancadas, sem eu perceber um chavo. O ficheiro lá nos chegou às mãos e os problemas começaram. Quase todos tinham erros por resolver e para isso era necessária a internet, extremamente lenta. E eu vi os meus colegas preocupados em procurar a solução, mas estava de facto impossível, porque a Internet não conseguia fazer a transmissão. Por exemplo, para mim, apenas precisava de actualizar o computador, mas a Internet estava fraca demais.

 

Entre as nossas várias tentativas falhadas começaram as bocas. "Vocês são técnicos informáticos, têm de saber resolver o problema sozinhos!!! Cruzar braços não dá!!! Esperar que o professor passe o ficheiro também não!!! Ou acham que o patrão vos vai fazer as coisas por vocês!?". Não, não vai, mas primeiro ponto: somos programadores, não técnicos (mas nem quis ir por aí, porque tanto o técnico como o programador partilham conhecimentos). Segundo ponto, estávamos a tentar. Que culpa era a nossa se os nossos recursos de trabalho eram escassos!? Obviamente que não estamos à espera que o patrão nos dê o trabalho já feito, mas martelar sem martelo e pregos é difícil. "Se fosse um jogo qualquer ou algo do vosso interesse já estava feito!!! Nem que falhasse cinquenta vezes, vocês já o tinham instalado".

Uma m*rda. Aquela mania de nos julgar a todos pelo geral deixa-me doida. Não dá, não dá! Mesmo assim continuei a tentar e lá consegui instalar aquilo por obra de um cabo de rede ali sozinho e abandonado que me prestou uma conexão melhor. Até que veio a pergunta do costume. "Mas vocês estão aqui porquê? Epá se é pelo subsídio, saiam! Programação é para quem quer e gosta, para quem tem amor por esta camisola! Se estão aqui só porque sim então não vale a pena!".

 

Voltemos aos factos: recebemos só o passe e temos direito a ir comer lá (não recebemos subsídio de alimentação porque existe refeitório no centro). Ficou por aí. E sim, quem gosta daquilo tem mais facilidade. Então e quem está ali a tentar!? Então e quem está ali porque prefere experimentar algo novo ao invés de ficar em casa sem lutar pela própria vida!? É o que eu estou a fazer! Se não der programação, talvez tente pastelaria ou outra coisa qualquer. Mas porra, estou a tentar! E não sou a única nessa posição. E dizem-nos uma coisa destas!? Estão à espera que nos tornemos fanáticos da programação, que estejamos desejosos e apaixonados por aquilo? Opá não me moam.

 

E foi graças a esta rica aula que me voltei a sentir inútil e com dúvidas sobre qual é a minha verdadeira vocação. Mais uma aula para me fazer sentir horrível por não me ter esforçado mais no secundário e poder estar agora na faculdade. É o resultado daquilo que se diz sem pensar, ao qual não pude responder.

Mas ainda não desisti.

 

 

Happy birthday, Violet Clouds!

Pois é. O blog foi criado há precisamente 1 anito.

 

Quer dizer, um ano e 2 dias. A todos vós peço perdão pela ausência, mas ando ocupada como tudo. Tem sido altura das limpezas de primavera e à mistura, um dos meus afilhados está mesmo aí  quase a nascer e ando a ajudar com os preparativos para a sua chegada. Fui irresponsável com o blog e com a sua actualização, mas esta minha ausência não deve durar muito mais. Até porque já tenho alguns posts prontos com coisas novas e um dia destes começo a utilizar o Instagram para algumas fotos que vou tirando ao longo do dia, a pequenos detalhes, pequenos momentos.

 

Mas sim, há um ano que o Violet Clouds foi "inaugurado". Tentativas de o encerrar? Uma. Ausências? Várias. Incumprimentos da minha primeira palavra no que toca a afastar a negatividade daqui? Deus me valha, não tenho dedos que chegue para contar. Mas falei muito e conheci muita boa gente que é blogger, aprendi coisas novas e mantive um dos primeiros objectivos pessoais com este blog: não eliminá-lo. Mantê-lo. Espalhá-lo. Torná-lo uma segunda casa. Obrigada a todos vós, seguidores mai lindos, por todas as palavras e todo o carinho. Pela vossa paciência. Por ainda visitarem o espacito.

 

Obrigada Sapo, por me aturarem há tantos anos com tantas inconstâncias, perguntas estranhas e posts melodramáticos que (creio eu) pouco ou nada se revelaram neste novo cantinho. Obrigada pela vossa assistência e simpatia e por tudo o que vocês são para nós, bloggers da Sapo.

 

E que venha mais um ano com histórias novas, aventuras e lógicas da batata. E todos aqui, sobre nuvens violeta de sonhos. ♥

Boa noite,

Daniela

 

 

 

 

 

A autora

foto do autor

Light Purple Pointer
Follow on Bloglovin

Quem passou por cá ♥

Mensagens

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D