Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Violet Clouds

O maninho já nasceu!

E nasceu de boa saúde ontem à noite, com 3,4kg e 50cm! Bem vindo ao mundo, David! E espero que tenhas muita sorte, saúde e amor na vida. ♥

 

(E perdão gente, ando muito ausente, mas tem sido dias sem muito pouco tempo para descansar. Nem durmo direito, o que já me dá cabo do juízo, mas enfim...)

 

Espero voltar em breve!

 

 

Das tais mini-férias

Bom, tenho mesmo de ganhar genica e enfrentar o stress, portanto vamos lá então falar do que já queria ter falado.

Prometi-vos que ia contar qualquer coisinha acerca das minhas mini-férias em Julho, uma semanita em Fiães. Apesar dos problemas que deixei atrás das costas (os quais não podia, nem posso fazer nada acerca deles...), uns dias longe de casa ajudou bastante a rever muita coisa a nível pessoal e geral. Não saía de casa há imenso tempo. Foi pouco depois de as lágrimas começarem a cessar que me apercebi que estava no comboio, a ir para longe. Estava a fazer o que me dava muitas saudades, ainda que não fosse para o destino preferido: entrar no comboio e zarpar para "casa".

Podem passar os anos que passarem, mas Porto vai ser sempre casa para mim. Não sei porquê. Já nem tenho lá habitação, mas tenho memórias e histórias, tenho amigos e conexões. Sinto-me mais em casa lá num só dia do que um ano inteiro em Lisboa e até hoje não houve nada que mudasse isso. Mesmo assim não passei por lá... Saí em Espinho. E um pedacinho de mim estava a chorar rios porque naquele Domingo ia ser lançado o oitavo livro do Harry Potter, mas do mal ao menos.

Foi uma semana de compreender muita coisa, de sair "da caixa" e aventurar-me. Não posso dizer que foi cinco estrelas, longe disso; há coisas para além do aceitável que lá se gramou, mas não era comigo e passou-se bem. No entanto, a minha irmã agarrou em mim todas as noites e levou-me a conhecer a terra. Pode não ser muito grande, mas é muito bonita.

Vi pirilampos ao vivo pela primeira vez, a passearem à minha volta. Explorei o mato e as ribeiras. Dei uma olhada a cada curva e cada sítio e respirei ar puro. Levantei-me toda a semana com o sol na cara sem os berros das minhas vizinhas, mas com os berros dos miúdos (ao menos não se queixavam das outras vizinhas cuscas). Voltei a cantar (haja saúde, pensava que se tinha extinguido) e descobri que não sou apta a tocar guitarra. Conheci gente nova e simpática e voltei a ver alguns amigos queridos do passado. Senti o carinho de uma irmã, que é sempre importante para mim, e ganhei mais três, dois amorzinhos e um ainda por nascer.

Perdi horas a olhar para o céu estrelado que por aqui raramente se consegue ver, embalada com o som do vento e da natureza. Fui à praia e consegui ficar com uma tez normal (milagre, tenho marca do biquini e tudo!). E sempre que chegava à praia, olhava incessantemente para a direita, à procura do paradão onde passei horas, infelizmente muito longe da vista. Fechei os olhos e tentei esquecer que não podia chegar-me só um pouco mais perto, não podia vaguear ali, não podia reencontrar velhos amigos e velhas memórias. Relembrei-me n vezes que não passam de histórias no passado.

Mas certamente que não me importaria absolutamente nada de um dia, quiçá, construir ali o meu futuro. Com tantas voltas que o mundo dá, uma viagem de comboio apenas torna decisivo o ponto de vista para o qual miro essa escolha, essas mudanças, esse fado.

E foi isto... De lá trago experiências novas, uma forcinha extra, quilos a menos e convição para deixar de beber café. Até que foi muito bom. Agora é ser forte e paciente, que Setembro já está aí perto com muitas novidades e alarido.

 

 

 

E vós, já tiveram as vossas férias?

Boa tarde,

Daniela

Comprados e Recebidos 2015/2016

Santa mãezinha, que vir aqui tem sido uma tarefa impossível.

 

Perdão pela ausência e pelas várias promessas de voltar que só hoje pude cumprir. A vida tem andado num reboliço e às vezes nem reparo por já estar acostumada. Mas lá consegui finalmente sentar-me e preparar o post mais antigo que tenho na lista para vos falar. Já queria ter mostrado os miminhos que recebi no Natal (credo, falar do Natal em Março quase que se parece com algo que decorreu há décadas e não há três meses), assim como investimentos seguintes, banais e baratos.

O Natal foi excelente, passado em redor de amigos e família, de risadas e fui surpreendida pelo Pai Natal com os miminhos abaixo. Recebi três perfumes (um deles oferta da Wells!) e um set dos filmes do Harry Potter (a versão francesa). Fora isso, as restantes comprinhas foram feitas com os donativos que caíram no meu pé-de-meia, que era destinado a comprar roupa, mas fui surpreendida por uma amiga que teve um impulso de compras na Primark e no fim os artigos não lhe serviam - e como me serviam a mim, ela fez o favor e embrulhou-os para colocar debaixo da minha árvore de Natal. De facto fui bastante sortuda este ano.

IMG_20151225_000151.jpg

 (Dolce&Gabanna Light Blue (namorado), Halloween (tia) e Elixir By Shakira (terceiro perfume oferta da Wells); Harry Potter L'Integral set (namorado) )

Para a minha tia, numa grande missão à estilo 007, comprei e consegui esconder até ao dia uma caneca de Natal com um cato muito fofinho. Adorei a cara dela, até porque dias antes tinha feito uma birra no LIDL a clamar que um dia haveria de comprar a prateleira de catos toda quando ganhasse o Euromilhões, eheh!

IMG_20160128_133849.jpg

 (o pequenito cato, após ter sido transferido para um vaso mais largo e num ambiente mais agradável, que veio para debaixo da árvore de Natal escondido no saco com o café. Ehehe!)

 

Com o que recebi monetariamente, corri direitinha aos saldos e fui buscar algumas coisas que há muito que as procurava, faziam falta ou eram essenciais para life hacks -  completar/melhorar algo do meu quotidiano. Em termos de maquilhagem, a Wells voltou a ser a minha best friend e lá adquiri alguns produtinhos de que necessitava. Apesar de não ser hábito meu maquilhar-me, lá acabei por aprender qualquer coisinha e assim consigo estar sempre prontinha para alguma entrevista de trabalho ou outra reunião importante e não ter ar de quem não dorme há três décadas:

IMG_20160102_001544.jpg

(Essence - Pó Matificante, Liquid Eyeliner e Corretor)

Na minha primeira ida à Primark (que honestamente fiquei muito desiludida) ainda consegui trazer algumas coisas, apesar de infelizmente apenas ter acertado numa das comprinhas. Fiquei atarantada por estar dentro da loja - aquilo era um inferno vivo, só empurrões e senhoras chateadas - e infelizmente sugeriram-me um par de leggins com o meu tamanho errado, mas ainda pude comprar um copo em forma de bola super querido e que usei com muita estima até se ter quebrado esta semana acidentalmente. Espero quando puder novamente trazer outra igual ou parecida, porque a Primark até tem copos muito, muito giros! Também foi algum tempo depois que pude comprar alguns items no fórum de Almada já há muito precisos no trabalho ou no dia-a-dia, como por exemplo um afia para as lapiseiras (que só encontrei no Ponto d'Arte...), um exfoliante da TheBodyShop bem cheiroso e em saldos. Fui um pouco levada pela onda e trouxe um lápis com um diamante numa das pontas do Ponto d'Arte e tenho-o estimado com muito carinho!

IMG_20160217_185329.jpg

 (Primark - Leggings e Copo em forma de bola; Ponto d'Arte - Lápis HB com ponta brilhante; The Body Shop - Exfoliante de ameixa edição especial)

IMG_20160218_191440.jpg

(Ponto d'Arte - Afia para lapiseiras 2mm)

Penso, se a memória não me falha, que só voltei a procurar artigos deste género um mês depois, perto de Fevereiro. Após mais uma e outra visitas aos fóruns Almada e Montijo, procurei mais algumas coisas de que precisava, em especial para um dos meus objetivos de 2016 (a perda de peso) e adquiri uma braçadeira para o telemóvel na Box (que depois de um pequeno ajuste está excelente para mim). Na Tiger fui surpreendida por alguns pesos de 1kg a 2 euros cada um e após muita insistência das minhas alunas, aderi à moda da mega borracha, que também escolhi esta pela ironia do CTRL+Z (digital artists know what I mean...). Na Ale-Hop, após muita procura, encontrei um massajador super engraçado, do qual a minha gata é fã nº1 e a caminho da caixa, encontrei a caneta ideal para o meu estudo durante os turnos noturnos, com um design muito giro e com uma pequena luz!

IMG_20160217_185450.jpg

 (Ale-Hop - Massajador e Caneta com Luz; Tiger - Pesos e borracha; Box - Braçadeira para telemóvel)

IMG_20160217_185530.jpg

 ♥

IMG_20160217_185614.jpg

(Oh só que bonitinho!)

Por esta altura só voltei a ter novidades para vos mostrar no Dia dos Namorados! Para o meu namorado optei por uma pequena brincadeira e juntei uma caixa de gomas em forma de coração e uma lata de 7Up (das misturas que ele mais gosta de fazer) e ele ofereceu-me uma almofada em forma de coração e uma caneca amorosa da Tiger, dias depois de a minha caneca preferida se ter partido. Como nesse dia andámos mais numa onda de gulosices e filmes, passámos pela Hussels antes de regressarmos a casa e comprámos um saquinho de bombons em forma de coração com três tipos de chocolates diferentes (dos pequenitos, a 4 euros).

IMG_20160214_003126.jpg

 (o que o namorado recebeu...)

IMG_20160217_183830.jpg

 (o que eu recebi...)

IMG_20160217_184739.jpg

(... e o que resta dos bombons que "voaram" num piscar de olhos!)

Perdão pelo longo post. Afinal estou a juntar recebidos e comprados dos meses de Dezembro Janeiro e Fevereiro e apesar de serem vários artigos, não gastei muito dinheiro graças aos saldos e às promoções, e o restante dinheiro do pé-de-meia foi para arranjar um dos meus dentes que me tem dado pesadelos. Provavelmente será o assunto do próximo post, mas até lá, que venham mais e boas novidades!

 

E vocês, como têm estado?

Boa noite,

Daniela

 

 

Hey March ♥

Please be kinder than February.

 

Parece que pelo menos ao princípio do mês tento cá estar sempre. Mas Fevereiro foi mês de chorar, de duvidar, de quase desistir. Muito honestamente nem tenho bem o que vos dizer. Demasiados pontapés da vida num mês tão pequeno, ninguém merece. E só para rematar e sumarizá-lo como "horrível", Fevereiro levou-me alguém querido. Independentemente de sangue ou não, a família é muitas das vezes feita de amizades e de lealdade, de confiança. Este mês perdi alguém muito querido a quem chamei de "tio".

Participou na minha infância, brinquei com um dos seus filhos. Desapareceu e depois voltou quando era mais velhinha. Ainda hoje zelo pelas suas filhas, tal como ele zelou um dia por mim. Nunca mais me esqueço de saber que pude contar sempre com ele das sombras das árvores da escola, detrás das grelhas de ferro ou até mesmo a um toque de telemóvel de chamada. Nem das várias vezes que nos cruzávamos na rua, sempre alegre, sempre a sorrir. Sempre bem disposto.

Estás agora com os anjos. Partiste cedo demais, e isso é simplesmente injusto. Não merecias. Ninguém merece, mas tu não merecias ainda mais.

Obrigada pela oportunidade de alguma vez te ter conhecido e aprendido contigo.

Um até já breve.

 

 

Feliz Natal!

A todos vós que por aqui passam, desejo-vos um Feliz Natal! Recheado de coisinhas boas, amor, saúde, paz e felicidade. Cá por casa as prendas já se abriram. Mas a consoada foi diferente. Em família, de certa forma.

Lembrei-me um pouco do quão bem sabe uma noite de Natal mais agitada com risos e alegria, a recordar o bom passado e a apreciar o presente. Não tive todos os que queria em meu redor, mas estive lá bem perto. Tinha a ideia de que me faltava qualquer coisa este ano no Natal e senti a vibe natalícia a ir pelo cano até subir ao terceiro andar com um bolo de aniversário e ser recebida com alegria.

Acho que seria felicíssima se nevasse hoje, na terra onde raramente neva. Mas já me dou por feliz no aconchego dos lençóis.

 

Obrigada.

Happy birthday, mom. ♥

Já passou o dia 9 há poucas horas, mas achei que aqui to podia dizer. Onde quer que estejas. Não me esqueci de ti, nem mesmo no silêncio da casa. E sei que os outros não se esqueceram. Acho que cada um, no seu íntimo, te desejou o mesmo. Que estivesses aqui connosco, a celebrar o teu aniversário com a tua boa disposição e o teu bom humor, a rir e a festejar. Que estivesses ao nosso redor, com alguém de câmara na mão, a soprar as velas do bolo.

 

Feliz aniversário, mommy.

Fazes-nos falta.

Actualização... E um desabafo.

... Mas não estou recomendável, ainda.

A todos vós, peço perdão pela ausência... Mais uma vez. Gosto por norma de, quando me ausento seja de onde for, avisar com antecedência ou mesmo colocar o devido cantinho em Hiatus, ou o famoso "volto já" de alguns dias ou semanas. Mas como puderam talvez antecipar pelo post anterior - já eliminado - as coisas não andam tragáveis de todo. E como reparei que tinha rebentado pelo lado errado... Cá estou eu.

Já não são as explicações e os miúdos que me tomam o tempo - até me têm ajudado na abstração dos problemas. Mas ser confrontada, mais uma vez, com situações do foro familiar afectaram-me. Recordo-me de em Março de 2014, salvo seja, ter-vos escrito o quão confusa estava após saber da existência de uma futura irmã, ligada a mim por um pai... Que nunca foi, nem sabe ser pai. Lembro-me de andar três dias desnorteada e calada até me terem encostado à parede e me forçarem a deitar cá para fora o que sentia - raiva, frustração, desilusão, desgosto. Iria nascer uma criança sem pai, com dramas da família paterna até à raíz do cabelo, com stress pelo caminho. Estava para nascer outra "eu", pronta a calçar um dos meus sapatos e a sofrer os calos que essas características lhe iriam trazer.

Até que por aventuras e desventuras, sete meses depois, é a mãe da criança que me força a escolher entre ELA (ela própria, não a menina) e a minha família materna. A que me defendeu com unhas e dentes perante os dramas acima mencionados, a que me calçou, vestiu e alimentou, a que me tratou e a que me educou, a quem devo o meu ser. E isto depois de vários avisos para não provocar mais... E após dita confirmação de que ela além de embriagada, não estava a respeitar o nosso horário de trabalho (que é à noite - após as explicações, preparar a matéria e os resumos para o dia a seguir) e muito menos respeitar um "Agora não te atendo nem a ti nem ao Papa. Estou a trabalhar. Mais logo". Parece-me óbvio que depois de um dia com crianças em casa, um bebé por tomar conta enquanto a mãe tratava de assuntos vários e após ter sido enervada decide embriagar-se num café da zona, o carro que avaria a meio do caminho e muitos mais problemas de stress, que ser interrompida a meio do trabalho faz rebentar a paciência de qualquer um, quanto mais a alguém com problemas de tiróide - e que já de si nem se devia enervar.

Não, nem isso foi respeitado, ouviu o que não gostou. E daí querer que eu escolhesse entre os erros dela e a minha família.

E por evidentemente escolher a minha família - a minha verdadeira família e quem detém a razão, apesar da forma como ela foi exposta (por gritos... ninguém perde a paciência e fala baixinho) - forcei-me a sair da vida da criança. A que apenas olha e não sabe ainda do que se trata. A inocente que, espero eu, vir ter comigo e procurar as respostas que apenas EU tenho em posse quando crescer. As dúvidas sobre o pai, sobre a família dramática, sobre o meu afastamento. Depois de Março de 2014 a preparar-me para a ajudar, para estar do lado dela, para a proteger daquele que de nós nunca quis nem quererá saber e para o enfrentar, fui forçada a abandonar o barco. Depois de me acostumar ao nome, ao rosto, às manhas e aos sorrisos. E desde então, tenho sido difamada - assim como a minha família - pelas redes sociais por parte da senhora.

Daí a minha falta de paciência, a minha ausência, a minha confusão. Não é de todo fácil afastarmo-nos de alguém de sangue que ao princípio nos deixou em choque e sem saber o que fazer. Mas nunca, jamais, virarei as costas àqueles que me ajudaram a crescer e fizeram de mim a mulher que sou. Saberei, de longe, observá-la e protegê-la, se assim for necessário. Saberei esperar, apesar de já ter pensado várias vezes em esquecer o assunto.

Saberei entrar de volta no cenário desde o momento em que ela esteja em perigo - que é constante dentro do seio familiar dela. Mas enquanto estiver tudo bem, eu ficarei apenas à espera que ela cresça e me procure. Irei ouvir cada pergunta, cada palavra, cada pressuposição ou cada mentira que lhe seja incutida. E irei estar lá, com tudo em mão, para lhe provar do que é certo ou do que é errado e dizer que não, não a abandonei. Apenas tive de me afastar e ficar nas sombras.

 

Desculpa, pequena, por estares a pagar pelos erros do nosso pai. Desculpa por não estar presente. Desculpa, mas não posso ir contra quem tem a razão e acima de tudo, quem me salvou a vida de estar nos teus dois sapatos.

Infelizmente, um dia, irás compreender.

A todos vós peço perdão e vou tentar voltar à blogosfera o mais prontamente possível. Tenho saudades vossas. Aqui eu tenho amigos.

Boa tarde,

Daniela

Pertinho, pertinho, do Natal

Estar ainda mais perto do Natal é óptimo.

Todo o meu tempo tem sido para dar explicações, ajudar os miúdos noutros assuntos, estudar e correr. Caros leitores fofinhos, ainda há pouco tempo comentei isto com a minha tia: apenas tenho saudades de Setúbal porque passava mais tempo fora de casa. Mas cá vou... Aguentando.

Cada vez que olho para o blog, penso que já está mais na horinha de alterar a fronha dele por completo. Antes de tudo, ainda não sei que estilo optarei: algo mais elegante, algo mais simplista, uma bola de espelhos aqui aos saltos (estou a brincar...).E trabalhar em HTML/CSS era muito bom para mim agora, mas nem sei o que quero fazer à página ainda. Talvez deixe esse assunto para 2015, logo logo em Janeiro.

De resto... Estou a estudar. Consegui um livro de Biologia e Geologia, o de Português não é o certo mas deve dar para qualquer coisita. Voltar a estudar enche-me o tempo muito bem e dá-me aquela vontade de querer pôr os livros de lado, porque há uma parede branca que nos deixa inventar um mundo novo. Já me disseram que só os estudantes ou trabalhadores compreendem essa teoria... Portanto estou feliz por voltar a compreendê-la. E entre intervalos, birras e heterónimos de Fernando Pessoa, vou pensando nas prendas de Natal (incluindo no Pai Natal secreto!) e há que arranjar forma de oferecer algo bom em todos os campos. Acima de tudo, sentimental. Que lhes encha o coração de alegria e esperança.

E talvez já tenha algum material aqui para o cantinho, portanto não percam o próximo post (:

 

 

Boa noite,

Daniela

Imprevistos, improvisos.

E porque agora acordo sempre às 7.00h de Segunda a Sexta, durante o fim-de-semana acordo mais cedo do que gostava.

Como vai o vosso fim-de-semana? Parece que houve uma boa surpresa para quem queria ir à praia, que apesar do pouco frio que se revelou durante a semana, agora aqueceu. Mas sim, descansem que eu não vou à praia ainda.

 

Já completei duas semanas de estágio. Faltam quatro. A partir desta semana passarei a ter o supervisionamento do meu tutor, o que espero ser algo favorável. E já tenho horas para compensar, porque a modos que tenho tido vários imprevistos.

Quinta-feira passada, a minha tia foi informada que iria ser operada na segunda-feira a uma tendinite no pulso. Os planos seriam eu ir para o estágio na mesma e encontrar-me com ela quando regressasse a casa, provavelmente pela mesma hora a que lhe dariam alta. Não fosse por estarmos todos enervados e pelo facto de a minha avó também estar de cama, estaria bem e teria ficado lá. Mas os nervos levaram a melhor de mim e fui recambiada para casa. Desde aí, tenho sido eu a responsável pela casa.

 

Não é difícil, apenas stressante. Mais ainda quando há gente doente. Mas aguenta-se, e tenho tirado proveitos disso. Há perto de um ano, neste post, falei no quanto gostava de aprender a cozinhar mas que era um tanto difícil poque a minha avó é a boss da área. Há uma semana que ando a tratar de almoço e jantar e tenho aprendido um montão de coisas. Desde frango de fricassé, picapau, espetadas grelhadas e até relembrar-me de receitas que aprendi há muitos anos como massa com atúm. Se algum de vós me segue no Instagram, têm visto provas disso. E tenho recebido feedback positivo, o que me deixa bastante motivada!

 

De resto, cansaço, mau humor e pernas inchadas têm sido minhas companheiras. Agora é aprender a contornar isso. E celebrar o facto de que falta menos de um mês para as minhas ricas férias. (:

A todas vós que praticam desporto:

Parece que vou ter mesmo de aderir a um ginásio ou a uma modalidade que me ajude a perder peso. Porém, fui avisada de que tenho de escolher algo que não me prejudique devido aos meus problemas cardíacos (já aí não posso correr). O que me aconselham?

 

 

Boa tarde,

Daniela

 

My special day.

Por hoje apenas consigo vir aqui até ao blog por breves momentos.

Há esperança de ser um dia movimentado e divertido. A noite de ontem foi bem melhor do que eu julguei. Não foi tão mau assim, ainda que na presença de pessoas pelas quais não suporto de todo há algum tempo. Não quis saber, queria divertir-me, aproveitar. Passar a meia-noite de outra forma.

 

E hoje que venha um bom dia. Vinte e uma primaveras quase cumpridas às dez para as sete. Um ano mais velha rodeada de quem me ama, de quem me ensina todos os dias a sorrir.

 

Até logo boa gente. Espero trazer-vos novidades bem boas daqui a algumas horas, no fim do dia, depois de soprar as velas.

 

 

 

 

 

 

 

Boa tarde,

Daniela

A autora

foto do autor

Light Purple Pointer
Follow on Bloglovin

Quem passou por cá ♥

Mensagens

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D